Bang Bang

Follow!

Ben Silver teve sua família morta aos oito anos pelos capangas de Paul Bullock. Sendo assim, Ben cresceu com o desejo de vingança para aquele que mandou assassinar seus pais. Passam-se vinte anos e ele retorna a Albuquerque para realizar a missão, mas no caminho se apaixona pela bela Diana. Até que ele descobre que ela é filha do homem que ele quer matar. A partir de então, Ben fica entre o amor e a vingança. Muitas outras histórias animaram a drama: as invenções malucas de Aquarius Lane, consideradas coisas do demônio por sua esposa, a conservadora beata Úrsula, a coragem da viúva Miriam Viridiana, que tem seu marido, o xerife John MacGold, morto logo no início da trama; o amor de Penny Lane e Neon - ela, uma McGold, ele, um Bullock, famílias inimigas; as irmãs Denaide e Henaide, na verdade, disfarces dos bandidos Jesse James e Billy The Kid; o amor de Dong-Dong, que para ter de volta a esposa Dorothy, em coma há vinte anos, tem que ler para ela o diário dela onde descobre que foi traído; a volta de Zorroh, que é uma mistura de Zorro e Lone Ranger, mas depois de aposentado, colocou um "h" no nome por recomendação de uma numeróloga e hoje toca uma barbearia junto com o índio Tonto; a dupla formada pelo Padre Hacker e o sacristão Ernest; e as meninas de Vegas Locomotiv, que tinha um caso com Gógol, um farsante de xerife. Por volta da metade da história, Gógol é assassinado. Então Vegas passa ter como objetivo casar com Bullock para garantir seu futuro. Enquanto isso o então xerife Zorroh chega a vários suspeitos para a morte de Gógol, sem êxito, já que o verdadeiro assassino é o sacristão Ernest.

Rated with 10/10 by 1 users
Episode Description

1

Chamadas

Esse vídeo é a coletânea de todas as chamadas realizadas antes da estréia da novela.
Episode Description

1

Capítulo 1

Bang Bang foi uma telenovela brasileira exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 3 de outubro de 2005 e 22 de abril de 2006 com 173 capítulos. Bang Bang foi escrita por Mário Prata e Carlos Lombardi e com direção geral de José Luiz Villamarim, que teve como diretores Paulo Silvestrini, Cláudio Boeckel, Ary Coslov e Carlo Milani, núcleo de Ricardo Waddington. Carlos Lombardi substituiu Mário Prata, que desistiu de fazer a novela no seu terceiro mês.

2

Capítulo 2

Apresentou Bruno Garcia, Fernanda Lima, Mauro Mendonça, Guilherme Fontes, Giulia Gam, Guilherme Berenguer, Alinne Moraes e Carol Castro nos papéis principais.

3

Capítulo 3

Teve média geral de 27,2.[2] O último capítulo da novela marcou 34 pontos com pico de 39 e 50% de share, considerado baixo para audiência de último capítulo.

4

Capítulo 4

Ganhou fama como escritor de telenovelas, sendo seu maior sucesso a novela global "Estúpido Cupido" (1976). Seu último folhetim foi "Bang Bang" (2005), com co-autoria de Carlos Lombardi. Prata desistiu de fazer novelas após o fracasso dessa telenovela.

5

Capítulo 5

Para entrarem no universo faroeste, os atores participaram de um workshop, onde tiveram aulas de montaria, malabarismo, lutas e esgrima.

6

Capítulo 6

- Bang bang é um faroeste que satiriza o Brasil e tem como fio condutor o desejo de vingança e justiça do herói protagonista, no ano de 1881, na fictícia cidade de Albuquerque. De autoria do escritor Mário Prata, a novela se apropria de personagens clássicos da literatura e do cinema para fazer uma brincadeira com situações contemporâneas. O diretor Ricardo Waddington conta que filmes como Era uma vez no Oeste (1969), de Sérgio Leone, Wyatt earp (1994), de Lawrence Kasdan, e Os imperdoáveis (1992), de Clint Eastwood, serviram de inspiração para a definição da estética da novela, que também sofreu influência dos enquadramentos de cineastas como Tim Burton, os irmãos Cohen e Quentin Tarantino. A melhor definição, dada pelo diretor, foi a de que a trama é um “western feijoada”, onde o tradicional faroeste vem temperado com latinidade.

7

Capítulo 7

- Bang bang é um faroeste que satiriza o Brasil e tem como fio condutor o desejo de vingança e justiça do herói protagonista, no ano de 1881, na fictícia cidade de Albuquerque. De autoria do escritor Mário Prata, a novela se apropria de personagens clássicos da literatura e do cinema para fazer uma brincadeira com situações contemporâneas. O diretor Ricardo Waddington conta que filmes como Era uma vez no Oeste (1969), de Sérgio Leone, Wyatt earp (1994), de Lawrence Kasdan, e Os imperdoáveis (1992), de Clint Eastwood, serviram de inspiração para a definição da estética da novela, que também sofreu influência dos enquadramentos de cineastas como Tim Burton, os irmãos Cohen e Quentin Tarantino. A melhor definição, dada pelo diretor, foi a de que a trama é um “western feijoada”, onde o tradicional faroeste vem temperado com latinidade.

8

Capítulo 8

- A proposta de inovação de linguagem foi apresentada logo nos quatro primeiros minutos do capítulo de estréia, em que o trágico passado que abalou a vida da pacata Albuquerque é mostrado em anime, técnica usada nos desenhos japoneses. Ben Silver (Bruno Garcia), o protagonista, é um menino de oito anos que vê a família e outros colonos serem dizimados por pistoleiros mascarados durante uma festa. Ele escapa da tragédia e ouve um colono moribundo sussurrar o nome que jamais sairia de sua memória: “Bullock”. Esse é o ponto de partida para que, 20 anos depois, Ben retorne à cidade para se vingar do mandante da chacina e, contra todas as suas previsões, apaixone-se justamente pela filha de seu rival, Diana Bullock (Fernanda Lima).

9

Capítulo 9

- No tempo da infância de Ben, os fazendeiros Paul Bullock (Mauro Mendonça) e John McGold (Tarcísio Meira) eram amigos e sócios na criação de gado. Bullock queria a expansão do rebanho, sem se importar com a área onde moravam os colonos. McGold, por sua vez, pretendia negociar a compra dos terrenos, sem prejudicar os trabalhadores da fazenda. As divergências aumentaram e os dois se tornaram inimigos. Até que acontece a tragédia com os colonos. Xerife de Albuquerque, McGold tentou enquadrar Bullock pelo massacre, mas não tinha provas suficientes para incriminar o ex-sócio. O único a ser preso, julgado e condenado foi Joe Wayne (Jece Valadão), autor dos disparos que atingiram gravemente a filha de John, Dorothy McGold (Cris Bonna).

10

Capítulo 10

- Duas décadas depois, Albuquerque está dominada pelas duas famílias rivais: os Bullock, criadores de gado, e os McGold, donos de uma mina de ouro. Joe Wayne sai da prisão e trava um duelo fatal com o xerife John, em que os dois morrem. O testamento do xerife revela que a mina de ouro da família não dá mais lucro e a fazenda foi hipotecada, deixando Bullock e seu contador Jeff Wall Street (Guilherme Fontes) interessados em comprar as terras da mina para ampliar o patrimônio. Miriam Viridiana (Joana Fomm), viúva de McGold, reúne a família para pensar em uma solução, mas a situação é difícil. Dorothy, uma das vítimas da chacina, permanece imóvel na cama, e seu marido Dong-Dong (Jairo Matos) vive embriagado para não pensar no que restou de seu grande amor; Úrsula (Marisa Orth), a filha mais velha de Viridiana, só pensa em suas rezas, enquanto seu marido, o cientista Aquárius (Ney Latorraca), só tem olhos para suas invenções mirabolantes. Catty (Fernanda de Freitas), filha de Dong-Dong e Dorothy, foi criada por Ursula e parece ter herdado a beatice da tia.

11

Capítulo 11

corajosa Diana, e ela o ajuda a enfrentar cinco bandidos que tentam assaltar a diligência onde eles viajam. Os dois se interessam um pelo outro, sem que Ben desconfie de que Diana é filha de seu rival. Ferido, Ben vai parar na casa dos Bolívar, o casal de mexicanos Javier (Genésio de Barros) e Violeta (Angelina Muniz), que descobrem que ele é seu afilhado, e que sobreviveu ao massacre. Os filhos do casal, Pablito (Humberto Carrão) e Mercedita (Carol Castro), acolhem o forasteiro na família. Pablito vira fã das histórias de Ben e Mercedita se apaixona por ele, formando um triângulo com Diana.

12

Capítulo 12

- Outro encontro importante a caminho da cidade acontece entre a jovem Penny Lane (Alinne Moraes), neta de McGold, e Neon (Guilherme Berenguer), filho de Bullock. Formados na capital, os dois têm uma mentalidade moderna para os costumes de Albuquerque e, apesar da guerra entre suas famílias, vivem um romance. O relacionamento conta com a ajuda do padre Hacker (Renato Consorte) e do sacristão Ernest (Renato Borghi) que deixam os dois utilizarem o confessionário para seus encontros secretos.

13

Capítulo 13

- Albuquerque também oculta outros segredos, como a verdadeira identidade das irmãs solteironas Henaide (Evandro Mesquita) e Denaide (Kadu Moliterno), as simpáticas Naides, donas do único hotel da cidade. Por trás de perucas, maquiagens e trajes femininos, escondem-se, respectivamente, os bandidos Billy The Kid e Jesse James. Sem que ninguém desconfie, os dois aprontam muitas e, ao longo da novela, assumem novos disfarces. Outro personagem de destaque é o destemido Zorroh (Sidney Magal). Longe dos tempos de glória, envelhecido, e com a letra “h” incorporada ao nome por causa da numerologia, ele virou cabeleireiro e tem uma barbearia, onde trabalha com o amigo Tonto (Eliezer Motta), que faz as vezes de manicure. Zorroh e Tonto moram no hotel das Naides, assim como Baiana (Thalma de Freitas), a única brasileira de Albuquerque, que prepara deliciosas receitas com ingredientes do litoral.

14

Capítulo 14

- Albuquerque também oculta outros segredos, como a verdadeira identidade das irmãs solteironas Henaide (Evandro Mesquita) e Denaide (Kadu Moliterno), as simpáticas Naides, donas do único hotel da cidade. Por trás de perucas, maquiagens e trajes femininos, escondem-se, respectivamente, os bandidos Billy The Kid e Jesse James. Sem que ninguém desconfie, os dois aprontam muitas e, ao longo da novela, assumem novos disfarces. Outro personagem de destaque é o destemido Zorroh (Sidney Magal). Longe dos tempos de glória, envelhecido, e com a letra “h” incorporada ao nome por causa da numerologia, ele virou cabeleireiro e tem uma barbearia, onde trabalha com o amigo Tonto (Eliezer Motta), que faz as vezes de manicure. Zorroh e Tonto moram no hotel das Naides, assim como Baiana (Thalma de Freitas), a única brasileira de Albuquerque, que prepara deliciosas receitas com ingredientes do litoral.

15

Capítulo 15

- Novos personagens se incorporam ao grupo, como os impostores Gógol (Marco Ricca) e Rush (Cosme dos Santos), que encontram morto no deserto o futuro xerife da cidade. Gógol assume a identidade do xerife e Rush vira seu assistente. Com os rumores de que o progresso virá pelos trilhos de aço, a cidade recebe uma legião de forasteiros, oportunistas, bandidos e almofadinhas, como Kid Cadillac (Paulo Miklos), bandido à beira da aposentadoria que ajuda a instalar a balbúrdia em Albuquerque, e seu parceiro Absurd Boy (Roumer Canhães), homem abobado e sem memória que é um às nas cartas. Até mesmo um circo chega à cidade, e três integrantes da trupe resolvem permanecer na região: o malabarista Nicola Fellini (Roney Facchini), o mágico Zoltar (Rodrigo Lombardi) e sua filha Tábata (Mauren Mcgee). Pouco tempo depois, aparecem também a “empresária” Vegas Locomotiv (Giulia Gam) e suas "meninas", Yoko Bell (Daniele Suzuki), Marilyn Corroy (Babi Xavier) e Elga (Tatiana Monteiro), além da sobrinha de Vegas, Brenda Lee (Ariela Massoti), adolescente que, apesar de pura e ingênua, acompanha a tia. A chegada de Vegas anima os homens e desagrada as beatas. Já Yoko Bell abala a relação de Penny Lane e Neon: ela é incumbida por Bullock de conquistar o rapaz. E Marilyn tenta vencer a resistência de Nicola para reaproximar-se da filha, Tábata, a quem não vê há 13 anos.

16

Capítulo 16

- A cidade fica ainda mais agitada quando o xerife Gógol, através de uma medida provisória, resolve reabrir o saloon para as mulheres. Jack Label (Maurício Pereira), dono do saloon, e o pianista Sam (Luiz Melodia) comemoram a reabertura, apesar de uma porcentagem do faturamento do local ir para o xerife e seu assistente. O autor não economizou nas piadas ao incluir na trama uma medida provisória, pagamento de taxas e frases como a do personagem Bike-Boy (Raphael Rodrigues) para os bandidos - “posso tomar conta do cavalo, tio?” -, criando um elo com situações contemporâneas. O progresso chega aos poucos, e o hotel recebe ainda uma nova invenção, o telefone.

17

Capítulo 17

- A cidade fica ainda mais agitada quando o xerife Gógol, através de uma medida provisória, resolve reabrir o saloon para as mulheres. Jack Label (Maurício Pereira), dono do saloon, e o pianista Sam (Luiz Melodia) comemoram a reabertura, apesar de uma porcentagem do faturamento do local ir para o xerife e seu assistente. O autor não economizou nas piadas ao incluir na trama uma medida provisória, pagamento de taxas e frases como a do personagem Bike-Boy (Raphael Rodrigues) para os bandidos - “posso tomar conta do cavalo, tio?” -, criando um elo com situações contemporâneas. O progresso chega aos poucos, e o hotel recebe ainda uma nova invenção, o telefone.

18

Capítulo 18

- A briga entre os Bullock e os McGold se acirra durante a trama e muitos acontecimentos mexem com a vida dos personagens de Albuquerque. Gógol decide desaparecer da cidade ao saber que Ingrid (Andréa Busato), viúva do verdadeiro xerife, está para chegar. É realizado um sorteio, e Zorroh é escolhido para assumir como interino. Uma esperança para a cura de Dorothy surge com a chegada do psicanalista Freud (Castro Gonzaga). O médico sugere que Dong-Dong leia para a mulher o diário em que ela detalha passagens íntimas de sua vida, como a amizade com o surfista Pete (André Bankoff), que ela conheceu em uma viagem à praia pouco antes de se casar. O tratamento surte efeito e Dorothy acorda cheia de disposição, mas não se lembra do marido. Ben Silver resolve abrir mão de seu plano e deixar a cidade, já que não tem como matar sua paixão pela filha de seu inimigo. No entanto, ele desiste da idéia ao descobrir que sua irmã, Carmencita (Júlia Sabugosa), pode estar viva, abrigada no convento de Sacramento.

19

Capítulo 19

- A briga entre os Bullock e os McGold se acirra durante a trama e muitos acontecimentos mexem com a vida dos personagens de Albuquerque. Gógol decide desaparecer da cidade ao saber que Ingrid (Andréa Busato), viúva do verdadeiro xerife, está para chegar. É realizado um sorteio, e Zorroh é escolhido para assumir como interino. Uma esperança para a cura de Dorothy surge com a chegada do psicanalista Freud (Castro Gonzaga). O médico sugere que Dong-Dong leia para a mulher o diário em que ela detalha passagens íntimas de sua vida, como a amizade com o surfista Pete (André Bankoff), que ela conheceu em uma viagem à praia pouco antes de se casar. O tratamento surte efeito e Dorothy acorda cheia de disposição, mas não se lembra do marido. Ben Silver resolve abrir mão de seu plano e deixar a cidade, já que não tem como matar sua paixão pela filha de seu inimigo. No entanto, ele desiste da idéia ao descobrir que sua irmã, Carmencita (Júlia Sabugosa), pode estar viva, abrigada no convento de Sacramento.

20

Capítulo 20

- Mário Prata se afastou da novela na segunda semana de exibição. Tirou licença por tempo indeterminado por conta de uma tendinite, mais tarde diagnosticada como osteoporose. Márcia Prates, da equipe de colaboradores, assumiu a coordenação até a entrada de Carlos Lombardi, que passou a supervisor do texto. O novelista chegou a pensar em fazer um terremoto na história, mas a idéia não vingou. Lombardi diluiu o drama, criou mais situações cômicas e imprimiu modificações nos perfis dos protagonistas: Ben Silver deixa de ser bom moço e Diana fica mais romântica. - Ben e Diana se casam, depois que a heroína descobre que está grávida. Mas ainda não é o final feliz do casal principal. Antigos namorados aparecem na vida dos dois. São eles Hector (Carlos Bonow) e Diva (Cláudia Lira), que contribuem para estremecer a relação dos protagonistas. Ao longo da história, surgem, ainda, a Viúva Clark (Luciana Braga) e o veterinário Lucas (Murilo Rosa) para atrapalhar o romance.

21

Capítulo 21

- Outros personagens também tomam novos rumos, envolvendo-se em muitas tramas amorosas. Penny Lane fica balançada pelo primo Mac Mac (Iran Malfitano), e Catty quase se casa com Neon. Harold (Ricardo Tozzi) decide casar-se com Yoko, mas é alvo das investidas de Ursula, que explora a outra personalidade do médico, o violento Lobo. No decorrer da trama, Ursula descobre que é filha de Bullock e muda completamente de visual e comportamento. A ex-beata vai trabalhar no saloon que, a essa altura, pertence a Vegas, e se une a Lobo, a outra personalidade de Harold. O objetivo da dupla é deixar o lado Harold desacreditado e fazer com que a personalidade do Lobo seja predominante.

22

Capítulo 22

- As irmãs Henaide e Denaide quase são desmascaradas com a chegada da prima Dolores - na verdade, um disfarce do bandido Frank Black Night, a quem elas são obrigadas a dar aulas de maquiagem e etiqueta para não serem denunciadas. Tempos depois, passam a formar um triângulo amoroso com a nova integrante da turma, Calamity Jane (Betty Lago), que havia ido atrás da dupla de bandidos para cobrar uma dívida.

23

Capítulo 23

- Violeta e Zorroh vivem um romance, e a vida do atual xerife interino se transforma com a chegada de sua mãe, Dona Zorrah (Nair Bello), que deixa o filho irritado ao chamá-lo pelo nome de batismo, Clayton. Fernanda Rodrigues e Mário Gomes também entram na trama: ela interpreta Daisy, uma trambiqueira contratada por Ben para fazer o sogro apostar toda a sua fortuna em um cassino; e o ator vive Greg Taylor, xerife de uma cidade vizinha. Marilyn morre, após revelar a Tábata que é sua mãe.

24

Capítulo 24

- Vegas e Gógol viram cúmplices para aplicar um golpe em Bullock, de olho em seu patrimônio. Marco Ricca, porém, sai da trama com a morte de seu personagem. Vegas consegue se casar com o fazendeiro e se transforma na grande vilã da novela. Disposta a herdar o dinheiro do marido, Vegas contrata perigosos bandidos - como Jordan (Licurgo Spínola) - para seqüestrar Júnior, o filho de Ben e Diana, e assim poder chantagear a família. Na última semana de Bang bang, descobre-se que Lucas era um dos cúmplices. Ben Silver, com a ajuda do xerife da cidade de El Perro, Crazy Jake (Marcos Pasquim), vence um duelo com os bandidos e consegue pegar o filho das mãos de Vegas, que morre soterrada. Ele desiste da vingança contra Bullock porque descobre que o sogro foi quem poupou sua vida no passado, por isso ele escapou da chacina contra os colonos. Viridiana assume seu amor por Bullock. Jake se casa com Mercedita e vira o novo xerife de Albuquerque. Diana e Ben se mudam para Sacramento, onde Diana vira a xerife da cidade. Ben se ocupa dos filhos e da casa, enquanto ela cuida dos bandidos.

25

Capítulo 25

- A novela teve cenas gravadas no deserto do Atacama, no Chile. Uma diligência típica da época foi construída especialmente para as gravações, que envolveram 27 profissionais brasileiros. Foram usados como locações o Vale da Lua e áreas próximas às cidades de São Pedro do Atacama e Calama.

26

Capítulo 26

- As cenas da viagem e do desembarque de Vegas Locomotiv e suas meninas em Santa Fé, cidade vizinha a Albuquerque, foram realizadas em Campinas, São Paulo. Como não seria possível usar o deserto chileno como cenário durante toda a novela, definiu-se que Santa Fé e Albuquerque seriam altiplanos, duas cidades divididas por um deserto, com regiões áridas e paisagens com verde. Angra dos Reis, dessa forma, foi escolhida como locação.

27

Capítulo 27

- A novela também foi gravada na fazenda Lama Preta, situada em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro – onde foram construídas a oficina de Aquárius e as casas dos Bullock e dos Bolívar – e em Pedra de Guaratiba, também na zona oeste da cidade, que abrigou um circo e a moradia dos McGold.

28

Capítulo 28

- Na Central Globo de Produção (Projac) foi construída a primeira cidade cenográfica da TV Globo ambientada no Velho Oeste. Albuquerque e Santa Fé tinham referências clássicas do bangue-bangue, com tratamentos diferenciados para marcar o conservadorismo da primeira e a chegada do progresso na segunda. Uma rua principal, casas de madeira e o tom esmaecido da areia do deserto davam o clima de Albuquerque, que incluía o saloon, uma igreja, uma delegacia, um hotel e um armazém, entre outras construções rústicas. A vizinha Santa Fé se diferenciava por ostentar mais poder e sofisticação, com um banco, um cassino e uma boutique. Todas as construções tinham interiores, permitindo que algumas ações passadas dentro de um ambiente tivessem ligação direta com o exterior. As alturas dos prédios foram pensadas para afastar das câmeras interferências externas, como os morros do Projac. Dois painéis usados para chromakey – telas azuis que permitem a inserção de imagens pelo computador – foram colocados na cidade cenográfica para aumentá-la através da criação de prédios virtuais em computação gráfica.

29

Capítulo 29

- Efeitos visuais também foram utilizados para movimentar a pena de Tonto por controle remoto. A pena vibrava toda vez que o personagem detectava algum perigo. A novela contou, ainda, com muitos efeitos especiais na realização das cenas de ação, além da criação de uma pequena mina de isopor e um carrinho em miniatura para as cenas do percurso dos despenhadeiros.

30

Capítulo 30

- Santos Dumont ganhou referências na cenografia da trama. Na oficina de Aquárius, personagem cujo maior projeto era inventar uma máquina para voar, foram construídas uma réplica do 14 Bis, com motor para rodar a hélice, e uma escada em caracol igual a que o aviador brasileiro tinha em sua casa de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. No quintal da casa dos Bolívar foi montado um barco, já que viajar pelo mar era o grande sonho do personagem Javier.

31

Capítulo 31

- O conceito do faroeste revisitado também foi aplicado ao figurino de Bang bang, que misturou o imaginário dos filmes de faroreste com elementos atuais. Neon e Penny Lane, por exemplo, formados na capital, traduzem a modernidade nas roupas e acessórios. O rapaz usa brinco na orelha, metais, correntes e uma bandana, enquanto a mocinha veste estampas miúdas que revelam seu lado romântico. Já as meninas de Vegas Locomotiv destoam dos demais personagens pelo colorido, abusando de espartilhos e decotes, seguindo o estilo do filme Moulin rouge, de Baz Luhrmann (2001). Um estudo sobre senhoras solteironas do século XIX serviu como ponto de partida para a caracterização de Henaide e Denaide.

32

Capítulo 32

- Fernanda Lima fez aulas de montaria e aprendeu a laçar, usar a arma e lutar para viver Diana. Carol Castro teve aulas de tiro, montaria e ordenha para fazer Mercedita.

33

Capítulo 33

- A abertura da novela inovou ao mostrar um duelo com bonecos representando os personagens, através de uma técnica de animação conhecida como stop motion, na qual o animador fotografa objetos, fotograma por fotograma, ou seja, quadro a quadro. Entre um fotograma e outro, é mudada a posição dos objetos. Quando o filme é projetado a 24 fotogramas por segundo, há a ilusão de que os objetos estão se movimentando. Os bonecos foram criados especialmente para a novela pela equipe responsável pela abertura.

34

Capítulo 34

- O anime, a técnica de desenho japonês usada no primeiro capítulo, foi realizado por seis profissionais da equipe de efeitos visuais da novela e demorou dois meses para ser concluído. Além da animação em 2D, a novela também contou com muitas intervenções virtuais, feitas em computação gráfica.

35

Capítulo 35

- Albuquerque também era o nome da cidade fictícia de Estúpido cupido, novela de Mário Prata exibida pela TV Globo em 1976. Esta não é a única semelhança com a antiga novela. Segundo lembrou o próprio autor, Estúpido cupido se passava em 1961, data que continua a mesma se o número for virado de cabeça para baixo. Assim como 1881, época em que se passa Bang bang.

36

Capítulo 36

- Esta foi a primeira novela dos cantores Luiz Melodia e Paulo Miklos, da banda Os Titãs.

37

Capítulo 37

- Bang bang foi a estréia da ex-apresentadora da MTV Fernanda Lima em novelas.

38

Capítulo 38

- A personagem Marilyn Corroy marcou a volta da apresentadora Babi às novelas da TV Globo. Seu último trabalho na emissora havia sido em Por amor (1997), quando ainda assinava Anna Bárbara Xavier, e interpretou Aninha.

39

Capítulo 39

- A escolha do nome Ben Silver foi uma homenagem do autor a seu bisavô, Ben Prata, que foi prefeito de Uberaba. Penny Lane foi inspirada na canção homônima dos Beatles.

40

Capítulo 40

- Bang bang ficou aquém dos índices de audiência esperados pela direção da emissora. Para alguns, a novela pagou pelo ônus da ousadia, ao apresentar um figurino e uma ambientação fora dos padrões e apostar em personagens com nomes em inglês, e em palavras em inglês misturadas a gírias. A novela sofreu muitas alterações, teve capítulos encurtados e saiu do ar antes do previsto.

41

Capítulo 41

- Bang bang estreou às vésperas do referendo nacional que decidiria pela proibição ou não do comércio de armas e munição no Brasil, e gerou protestos, dividindo a opinião do público. Os contrários à venda de armas e munição achavam que a novela favorecia os partidários do “Não”, enquanto os defensores do “Sim” viam as cenas de tiros como campanha pelo desarmamento. A frente parlamentar Pelo Direito da Legítima Defesa solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a suspensão da exibição da novela, sob a alegação de que a emissora estaria induzindo o voto a favor da proibição, mas a liminar foi negada. A TV Globo se manifestou, explicando que a novela não fazia apologia alguma, não tinha intenção de interferir na realidade e que o faroeste era apenas pano de fundo para uma história de amor.

42

Capítulo 42

- Além de Paulo Miklos, Luiz Melodia, Sidney Magal e Evandro Mesquita, outros cantores fazem parte do elenco: Thalma de Freitas (intérprete de Baiana) e Maurício Pereira (Jack Label).

43

Capítulo 43

Fernanda Lima em sua estreia em novelas, logo como protagonista, não fez feio e teve química com Bruno Garcia. A novela ainda trazia elenco, atores como: Mauro Mendonça, Joanna Fomm, Ney Latorraca, Giulia Gam e Guilherme Fontes. Além dos musicos: Paulo Mikros, Sidney Magall, Luís Melodia, e do já citado Evandro Mesquita. E marcou a estreia do ator Ricardo Tozzi e foi a primeira novela de Guilherme Berenger e Daniele Suzuky. Ela já havia feito Uga Uga, mas personagem de destaque veio em “Bang Bang”.

44

Capítulo 44

Um dos créditos da novela era a tentativa de se fazer humor. Os atores Evandro Mesquita e Kadu Moliterno interpretavam personagens que se vestiam de mulheres e garantiam algumas cenas de humor à trama.

45

Capítulo 45

Uma das estratégias da Globo foi diminuir o tempo de exibição de “Bang Bang” e também o intervalos comerciais. Os capítulos passaram dos tradiocionais 55 minutos, para 45 minutos, com as mudanças.

46

Capítulo 46

Com as mudanças, alguns personagens sairam e outros surgiram. O ator Marco Ricca, por exemplo, pediu para sair e teve seu personagem assassinado. Como a trama não tinha tantos ingredientes de um folhetim tradional com vilões muito maus e mocinhos bonzinhos, somados ao que o público não estava acostumado, houve uma migração da audiência para a Record, que apresentava a folhetinesca “Prova de Amor”.

47

Capítulo 47

Mario Prata se afastou da novela antes de completar o primeiro mês de exibição. Com problemas de saude, posteriormente ele teve que se afastar definitivamente, deixando 30 capítulos escritos e mais 20 projetados. Márcia Prates, que fazia parte da equipe de colaboradores, assumiu o comando. Mas, a emissora solicitou a intervenção do autor Carlos Lombardi para dar um norte aos colaboradores.

48

Capítulo 48

A novela foi uma tentativa do autor Mario Prata e da Globo em inovar. Porém, a ousadia não foi bem aceita pelo público e passou por maus bocados. Os nomes dos personagens, o enredo confuso, as piadas em referência aos anos 60, foram alguns dos erros apontados pelos telespectadores em pesquisa.

49

Capítulo 49

A novela foi uma tentativa do autor Mario Prata e da Globo em inovar. Porém, a ousadia não foi bem aceita pelo público e passou por maus bocados. Os nomes dos personagens, o enredo confuso, as piadas em referência aos anos 60, foram alguns dos erros apontados pelos telespectadores em pesquisa.

50

Capítulo 50

Outros personagens tiveram seus desfechos supreendentes, narrados pela moderna Penny Laine (Alinne Moraes), como a mãe da moça, Úrsula (Marisa Orth), que de beata terminou os dias como cafetina. O ator Guilherme Piva, em participação especial, viveu, em três momentos, três personagens completamente diferentes um do outro, um fato raro que só havia acontecido anteriormente em Vira-Lata (1996), com Matheus Carrieri, e em Kubanacan (2003), com Marcos Breda.

51

Capítulo 51

HÁ 5 ANOS CHEGAVA AO FIM O FAROESTE DE “BANG BANG” - 2001 Em 22 de abril de 2006, chegava ao fim o faroeste de “Bang Bang”. E o amor bandido de Diana Bullock (Fernanda Lima) e Ben Silver (Bruno Garcia) tinha um final feliz. Ele, de cavaleiro durão, passou a pai de família e “dono-de-casa” e ela se tornou a xerife da cidade para onde se mudaram.

52

Capítulo 52

O tropeço de Bang Bang rendeu também um corte no número de capítulos. Dos 200 originais, terminará com 170. Com estréia prevista para 24 de abril, Cobras e Lagartos, de João Emanuel Carneiro (autor de Da Cor do Pecado, de 2004, último grande sucesso do horário das 19h), ganhará ares de superprodução já no primeiro capítulo gravado em Angra dos Reis e terá um orçamento maior do que o destinado às novelas deste horário. Já Fernanda Lima recebeu há poucos dias a promessa de Mário Lúcio Vaz de que a Globo acredita no seu talento e vislumbra uma próxima novela para ela no ano que vem.

53

Capítulo 53

O pedido de socorro a Lombardi se deu após uma reunião da cúpula da emissora em novembro. A fim de conter a fuga de espectadores para a novela Prova de Amor, da Record, ficou decidido encurtar os capítulos em 15 minutos. Bang Bang tem três intervalos comerciais a menos do que a sua antecessora A Lua me Disse, segundo o mercado publiciário, o que significa uma redução de faturamento de até R$ 15 milhões por mês. Pesquisas apontaram que o público não se identifica com o universo do faroeste e com os nomes em inglês misturados às gírias cariocas. Lombardi teve 15 dias para tentar botar ordem na casa. Diante do caos, cogitou uma tragédia. “Sugeri um terremoto”, conta.

54

Capítulo 54

A escolha de Fernanda contou com o aval do diretor artístico da Globo, Mário Lúcio Vaz, e do diretor da novela, Ricardo Waddington. Fernanda entrou com força. Sugeriu da maquiagem à trilha sonora da personagem. Com a novela no ar, as críticas à sua atuação se somaram à atenção sobre sua vida amorosa. No fim de 2005, ela acabou uma relação de dois anos e meio com o ator Rodrigo Hilbert. Depois foi vista algumas vezes em companhia de Ricardo Waddington. “Ela precisa ir levando a vida e deixar a crítica passar, sem cara amarrada, sem briga. Não pode ficar agressiva”, aconselha o publicitário Lula Vieira. “Fernanda é verde, mas não é ruim”, opina o autor Carlos Lombardi, autor de sucessos como Uga-Uga, que foi chamado às pressas para salvar a novela, abandonada por Mario Prata logo no início por problemas de saúde.

55

Capítulo 55

Fernanda Lima em sua estreia em novelas, logo como protagonista, não fez feio e teve química com Bruno Garcia. A novela ainda trazia elenco, atores como: Mauro Mendonça, Joanna Fomm, Ney Latorraca, Giulia Gam e Guilherme Fontes. Além dos musicos: Paulo Mikros, Sidney Magall, Luís Melodia, e do já citado Evandro Mesquita. E marcou a estreia do ator Ricardo Tozzi e foi a primeira novela de Guilherme Berenger e Daniele Suzuky. Ela já havia feito Uga Uga, mas personagem de destaque veio em “Bang Bang”.

56

Capítulo 56

O fracasso de Fernanda Lima Com atuação sofrível, a ex-modelo personifica o mau desempenho de Bang Bang, que perdeu Ibope para Prova de Amor, da Record, será encurtada em 30 capítulos, tem três intervalos comerciais a menos que sua antecessora e abriu caminho para a emissora paulista brigar pela audiência do Jornal Nacional texto: Mariana Kalil foto: carlos ivan/ o globo Colaborou: Clarissa Monteagud

57

Capítulo 57

Essa novela foi feito na mesma época do filme Kill Bill, que tem claras influências do faroeste spaghetti de Sergio Leone, de quem Quentin Tarantino? se declarou fâ e que para ele foi sua maior influência. Bang Bang tem um clara influência dos animes feitos ao longo do filme Kill Bill, só não tem a mesma quantidade de sangue e a música do Zé Ramalho, mas no resto este desenho feito é quase a mesma coisa. Youtube: mblaster3D 2010

58

Capítulo 58

A novela... Bang Bang tem alguns problemas de edição que ninguém... percebeu... Um deles.. foi que? os capitulos começaram com filtro que da aquele tom marron na tela... parece mais quente e empoirado... e quando chegou na metade da novela... houve aquela briga e mudaram o diretor... e gravaram os capitulos sem filtro.. ninguém notou... e houve os erros gritantes... Ela sendo reeditado... talvez se salve... Youtube: TheAtorrufino 2011

59

Capítulo 59

Tita - 11/04/2010 às 0:46 Eu tiraria Bang-Bang (gostei muito do tema inovador, do elenco, e adoro as coisas do autor original, Mário Prata) e tiraria também Estrela Guia dessa lista, não achava ruim. Agora, incluiria TODAS as novelas de Glória Perez. Não suporto. Afff…

60

Capítulo 60

JOSIANDRE - 10/01/2011 às 13:07 Para mim a pior novelas já passada na Globo foi CAMA DE GATO,TEMPOS MODERNO,O PROFETA E NEGOCIO DA CHINA.A Melhor novela já passada na globo para mim foi BANG BANG. Eu gostaria muito que fosse passada de novo a novela BANG BANG em vale apena ver de novo,Porque essa novela contem romance e acão juntos essa novela nunca deveria estar entre as 10 piores novelas brasileira as que deveria estar seria CAMA DE GATO,TEMPOS MODERNO,O PROFETA E NEGOCIO DA CHINA.Eu espero que essa novela passe novamente na TV Ass:josiandre

61

Capítulo 61

As 10 novelas que foram os maiores fracassos da TV (Revista Veja). O time de atores pode ser de primeira linha, mas se o público não simpatizar com a história e não se identificar com os personagens nada pode salvar uma novela do fracasso. ---------- Terceira: Bang Bang A Globo inovou abordando o tema faroeste em uma novela. Mas não foi à toa que isso não virou moda. Bang Bang (Globo, 2005) foi um fiasco. A trama confusa e as piadas do velho oeste não colaram. Os baixíssimos índices de audiência chegaram a afetar, inclusive, o imaculado ibope do Jornal Nacional, que vinha logo em seguida. Nem o autor aguentou a história de Ben Silver (Bruno Garcia), que aos 8 anos teve a família morta pelos capangas de Paul Bullock (Mauro Mendonça) e volta para a cidade pronto a enfrentar o inimigo, quando se apaixona pela filha dele, Diana (Fernanda Lima). Alegando problemas de saúde, o novelista Mário Prata abandonou o folhetim nas primeiras semanas de exibição, deixando o abacaxi nas mãos de Carlos Lombardi, que não conseguiu fazer milagre.

62

Capítulo 62

As 10 novelas que foram os maiores fracassos da TV (Revista Veja). O time de atores pode ser de primeira linha, mas se o público não simpatizar com a história e não se identificar com os personagens nada pode salvar uma novela do fracasso.

63

Capítulo 63

vitor hugo disse: 22 de fevereiro de 2012 às 19:15 oi meu nome é vitor tenho 13 anos a novela bang bang foi muinto boa pra mim nao perdir nem um dia e queria ver de novo e pra falar a utima cena eu ainda lembro daiana bullok tava com ceu marido e seus filhos na carosa chegou uma mulher com uma arma e ea atirar em daiana ela foi mas rapida puxol a arma e atirol na testa da mulher e se eu nao me emgano foi o final da novela.. porfavor bota a quela novela pra pacar de novo e as 7:00 horas é quando poso asirtir por favor valeo.s2

64

Capítulo 64

Gogól decide fugir da cidade e Zorroh assume o cargo de xerife. Vegas e Gogól viram cúmplices para aplicar um golpe em Bullock, mas Gogól é assassinado. Vegas se casa com Bullock e arma um plano para sequestrar o filho de Ben e Diana e assim chantagear a família. Ben consegue salvar seu filho e Vegas morre soterrada. Ben também desiste da vingança, já que fica sabendo que foi o sogro quem salvou a sua vida no passado. No final, Viridiana assume seu amor por Bullock e Ben e Diana vão morar em Sacramento. E enquanto que Diana é a xerife da cidade e luta contra os bandidos, Ben cuida dos filhos e da casa.

65

Capítulo 65

Apesar das brigas entre a família McGold e Bullock, Ben e Diana se casam. No entanto, antigos namorados aparecem na vida dos dois e atrapalham o relacionamento entre Ben e Diana. São eles Hector e Diva. Mais tarde, ainda surgem a viúva Clark e o veterinário Lucas para atrapalhar o romance entre Ben e Diana. A abertura da novela foi produzida utilizando bonecos através da técnica de animação stopmotion. Ao contrário do que muitos imaginaram ser a reedição do famoso Playmobil, mas não era. Os bonequinhos que caracterizavam os personagens da trama foram criados especialmente para a novela pela equipe de Hans Donner. Foram usados como referência bonecos de chumbo até chegar ao formato adotado.

66

Capítulo 66

Novos personagens vão surgindo durante a novela como os bandidos Kid Cadillac e Absurd Boy; o destemido Zorroh (aposentado, ele coloca “h” no nome por sugestão da numerologia e agora tem uma barbearia e trabalha como cabeleireiro) e seu amigo Tonto; os impostores Gogól (ele se passa pelo novo xerife da cidade) e Rush; e os integrantes de um circo: o malabarista Nicola Fellini, o mágico Zoltar e sua filha Tábata. Também chegam a Albuquerque Vegas Locomotiv e suas “meninas”, Yoko Bell, Marilyn Corroy e Elga, além de Brenda Lee, sobrinha de Vegas. A chegada das meninas movimenta a cidade que fica ainda mais agitada com a abertura do saloon para as mulheres.

67

Capítulo 67

Fernanda Lima em sua estreia em novelas, logo como protagonista, não fez feio e teve química com Bruno Garcia. A novela ainda trazia elenco, atores como: Mauro Mendonça, Joanna Fomm, Ney Latorraca, Giulia Gam e Guilherme Fontes. Além dos musicos: Paulo Mikros, Sidney Magall, Luís Melodia, e do já citado Evandro Mesquita. E marcou a estreia do ator Ricardo Tozzi e foi a primeira novela de Guilherme Berenger e Daniele Suzuky. Ela já havia feito Uga Uga, mas personagem de destaque veio em “Bang Bang”.

68

Capítulo 68

Quando Ben Silver chega à cidade, Albuquerque é dominada pelas famílias rivais: os Bullock, criadores de gado, e os McGold, donos de uma mina de ouro, e as famílias estão sempre em guerra. No entanto, a briga entre famílias não impede que a jovem Penny Lane, neta de McGold, e Neon, filho de Bullock, se apaixonem e vivam um romance secreto.

69

Capítulo 69

Na fictícia cidade de Albuquerque, Ben Silver vê, aos oito anos de idade, a sua família ser morta pelos capangas de Paul Bullock. Vinte anos se passam e ele retorna à cidade para se vingar. Só que ele acaba se apaixonando por Diana Bullock, filha de seu inimigo. Ben passa, então, a viver entre o amor e a vingança.

70

Capítulo 70

essa novela era 10, pena que teve a pior audiencia da globo ne, e era a? que mais se diferia das novelas-clones da globo. mostra a ignorancia do publico geral desse tipo d programa 0o Youtuber: iagopuma 2009

71

Capítulo 71

A Globo optou por usar desenhos animados para reduzir o impacto de cenas violentas no primeiro capítulo da novela. A animação retratava o que aconteceu no passado do personagem Ben Silver (Bruno Garcia), e teve como objetivo adequar o faroeste ao horário livre e se isentar de acusações de influência no referendo do desarmamento.

72

Capítulo 72

Para entrarem no universo faroeste, os atores participaram de um workshop, onde tiveram aulas de montaria, malabarismo, lutas e esgrima.

73

Capítulo 73

Nova novela das sete da Globo satiriza o país com western. Publicidade MARCELO BARTOLOMEI Colaboração para a Folha de S.Paulo, no Rio

74

Capítulo 74

Quando começar o primeiro capítulo de "Bang Bang", a novela das sete que a Globo estréia no dia 3, a emissora inicia testes de uma nova linguagem e diferentes estéticas em relação ao seu tradicional padrão de produção.

75

Capítulo 75

Os quatro primeiros minutos da novela serão em anime (técnica de desenho animado japonesa) na tentativa de atrair o público jovem, minimizar os efeitos da violência na TV e escapar das críticas por causa do horário. Além disso, recursos de computação gráfica --antes utilizados em minisséries-- estarão no folhetim.

76

Capítulo 76

"Bang Bang", um faroeste cujo cenário é baseado nos clássicos do western norte-americano, é de autoria de Mário Prata, 59, roteirista conhecido pelo texto leve, com pitadas de humor e que estava afastado da emissora havia 20 anos -seu último trabalho foi "Um Sonho a Mais" (1985), em parceria com Lauro César Muniz.

77

Capítulo 77

"É uma novela muito específica, pois todo o seu universo é criado. É diferente de fazer novela de época ou contemporânea, quando você pesquisa e transpõe os elementos para as telas. É um faroeste, mas não uma cópia, pois tem um olhar muito nosso. Temos apenas uma referência ao western norte-americano, que era muito violento. É a novela mais difícil que já fiz", diz Ricardo Waddington, 44, diretor de núcleo.

78

Capítulo 78

A Globo muda o estilo de fazer novela no horário num momento em que a concorrência avança, mas aposta e está ciente dos riscos. "Eu chamo esta novela de abusada. Para mim não existe moderno ou antigo. Novela é uma linguagem por si mesma. Como conteúdo e narrativa, ela traz um abuso. Nos pediu um elenco, uma trilha, uma cenografia, um figurino, um tratamento estético, tudo abusado. Acho qualquer novela arriscada hoje em dia", diz.

79

Capítulo 79

Também é a estréia de Fernanda Lima numa novela, e como protagonista. "Ou gostam da novela ou não. Ela não vai fazer conchavo com o público. Ou compra, ou não compra. Aposto que compre... A Fernanda Lima fez testes e foi aprovada, está se dando muito bem. Eu estou acostumado a lançar gente na televisão, e tem dado certo. Gosto da novidade na escalação porque dá mais credibilidade ao personagem, frescor, oxigênio e uma temperatura que outra atriz, que traria a lembrança de outro personagem, não teria."

80

Capítulo 80

O projeto é antigo e tem 16 anos, segundo Prata. A referência ao faroeste é uma homenagem à infância do autor. "Eu ia fazer essa novela na Manchete, mas deu no que deu... [A falência da emissora foi decretada em 2000] Foi cansativo chegar até aqui porque eu convenci a Globo aos poucos. Caí na mão de dois diretores maravilhosos, que entenderam o que eu queria desde o momento em que leram o primeiro capítulo. Não adiantaria fazer se fosse com nomes brasileiros e gravada no Maranhão, por exemplo."

81

Capítulo 81

Albuquerque, a fictícia cidade onde se passa a história, é uma referência direta ao seu mais famoso trabalho na Globo --"Estúpido Cupido" (1976). "Conheci a cidade cenográfica no início da semana passada. Fiquei olhando e, num canto, sozinho, comecei a chorar. A Rede Globo virou uma indústria", analisa.

82

Capítulo 82

Albuquerque, a fictícia cidade onde se passa a história, é uma referência direta ao seu mais famoso trabalho na Globo --"Estúpido Cupido" (1976). "Conheci a cidade cenográfica no início da semana passada. Fiquei olhando e, num canto, sozinho, comecei a chorar. A Rede Globo virou uma indústria", analisa.

83

Capítulo 83

O deserto onde se passa a novela (e onde a equipe gravou as primeiras cenas e outras que serão usadas ao longo da atração) é em San Pedro de Atacama, no Chile. A produção se preocupou em adaptar figurino e cenário, por exemplo, ao clima do deserto. "É uma cidade cenográfica [que fica na Central Globo de Produção, o Projac, na zona oeste do Rio] que precisa ter poeira. A roupa das pessoas tem poeira. Isso será visível na tela", diz Waddington.

84

Capítulo 84

O desenho animado entra na novela para amenizar a violência, garante Waddintgon, para quem o horário seria impróprio para seguir a cartilha dos animes japoneses ou até mesmo do western americano. "Pegamos o conteúdo pesado e colocamos numa linguagem lúdica. Entra no recurso que o Quentin Tarantino usou em "Kill Bill", por exemplo, de uma situação muito violenta: põe o conteúdo adulto no desenho, que é de imagem lúdica."

85

Capítulo 85

O desenho animado entra na novela para amenizar a violência, garante Waddintgon, para quem o horário seria impróprio para seguir a cartilha dos animes japoneses ou até mesmo do western americano. "Pegamos o conteúdo pesado e colocamos numa linguagem lúdica. Entra no recurso que o Quentin Tarantino usou em "Kill Bill", por exemplo, de uma situação muito violenta: põe o conteúdo adulto no desenho, que é de imagem lúdica."

86

Capítulo 86

Em Albuquerque, é proibido andar armado. Coincidência ou não, em outubro será votado o referendo sobre a comercialização de armas no Brasil. A novela terá duelos, mas traduzidos em cenas de ação. "Não haverá sangue na novela. O espectador não verá a pessoa morrendo. Tentamos contar essa história de faroeste de uma maneira mais lúdica e bem menos violenta do que o cinema americano e do que os desenhos japoneses. Tudo isso sem tirar o drama e a aventura, que são os ingredientes da dramaturgia", afirma o diretor de núcleo.

87

Capítulo 87

O anime de estréia foi realizado por seis profissionais da equipe de efeitos visuais da novela, comandada por Gustavo Garnier, 49. Demorou dois meses para ser concluído. "Seria bom se tivéssemos um no início, um no meio e outro no final", diz o animador.

88

Capítulo 88

Além da seqüência em animação 2D, haverá intervenções virtuais em cerca de 30% da novela. O deserto é uma das reconstruções necessárias por meio do computador. "Uma das nossas funções é complementar", diz Garnier. "Usaremos computação gráfica direto. Vamos colocar Albuquerque no meio do deserto. Temos um grande cromaqui [tela azul que, ao fundo, permite a inclusão de imagens no computador] em volta da cidade cenográfica", reafirma Waddington.

89

Capítulo 89

Há seqüências inteiras, como a do capítulo 3, por exemplo, virtuais. "Os sonhos do personagem Jeff Wall Street (Guilherme Fontes) serão todos em computação gráfica", conta Garnier.

90

Capítulo 90

Apesar de estar ficcionalmente situada nos EUA, "Bang Bang" será muito brasileira, segundo Prata. Linguagens à parte, a comparação a "Que Rei Sou Eu?" (1989), de Cassiano Gabus Mendes, é inevitável. "Ela tinha uma estrutura de personagens de narrativa política. Aqui, não. Temos um xerife que baixará umas medidas provisórias absurdas, mas a novela não é focada nisso, não pretende discutir nenhum assunto. Vamos brincar com o cotidiano."

91

Capítulo 91

"É uma grande sátira, não é uma farsa. Toda a referência da novela é no real, no sentido de fazer o público acreditar que aquilo até poderia acontecer. Não é uma fábula. O Prata se apropria de situações atuais e joga para aquele momento", diz Waddington.

92

Capítulo 92

A novela, segundo o diretor, não será datada. "Não teremos uma citação ao episódio chamado "mensalão", mas, sim, histórias que envolvam corrupção.""Bang Bang" começa com a lembrança de uma chacina ocorrida 20 anos atrás, quando o protagonista Ben Silver (Bruno Garcia) fica órfão. De volta à cidade, busca vingança. A direção geral é de José Luís Villamarin. Ao lado de Prata, colaboram no roteiro Ana Ferreira, Chico Mattoso, Filipe Miguez, Márcia Prates e Reinaldo Moraes.

93

Capítulo 93

A aparente paz de Albuquerque esconde o aperto no peito de muitos de seus moradores. Sob um olhar ligeiro, a cidade poderia parecer uma pacata localidade do final do século XIX. Mas não é bem assim. As paredes de madeira e a areia do deserto guardam profundos mistérios e uma tragédia difícil de esquecer. Há 20 anos, Paul Bullock (Mauro Mendonça) e John McGold (Tarcísio Meira) eram sócios. Naquele tempo, criavam gado e seria difícil imaginar que se tornariam grandes inimigos. Bullock queria expandir o rebanho, a qualquer custo, para a área onde moravam os colonos. McGold pretendia negociar a compra dos terrenos e tinha uma clara opinião: a gente pobre que trabalhava a terra só ficaria sem chão "por cima de seu cadáver". Uma mulher também estava no meio das desavenças e as divergências, que cresciam a cada dia, explodiram numa única noite.

94

Capítulo 94

O momento era de festa. A fogueira iluminava a dança do povo e o javali assava diante dos convidados de McGold. A fazenda estava num alvoroço só. Pelo menos até a chegada de bandidos. Mascarados, na surdina, Joe Wayne (Jece Valadão) e seus capangas acabam com a confraternização. A música dá lugar ao som ensurdecedor dos disparos. Albuquerque nunca mais seria a mesma.

95

Capítulo 95

Escondido na parte de trás de um carro de boi, um menino observa tudo estarrecido. Com apenas oito anos, Ben Silver (Bruno Garcia) perde toda a família. O animal se assusta com o barulho e o leva para longe. A inocência é quebrada pela dor da perda. Um colono moribundo lhe sussurra: "Bullock, Bullock". A voz jamais sairá da memória.

96

Capítulo 96

Do olhar triste e devastador dos presentes, pulsa a revolta. Mas McGold decreta: a lei deve prevalecer. Como xerife, tenta enquadrar seu inimigo, porém não há provas suficientes. O único a ser preso, julgado e condenado é Joe Wayne, o autor dos disparos que atingiram gravemente sua filha, Dorothy McGold (Cris Bonna).

97

Capítulo 97

Duas décadas depois, Albuquerque vive relativamente em paz, dominada por estas duas famílias rivais: os Bullock, criadores de gado, e os McGold, donos de uma mina de ouro. O xerife garante o bem-estar da população e mantém a crença na justiça até o último dia de sua vida. Prestes a se aposentar, John é novamente vítima de Joe Wayne. Ao sair da prisão, o bandido trava um duelo fatal com o xerife. O coração da cidade se vai. Não há mais tranqüilidade.

98

Capítulo 98

Duas décadas depois, Albuquerque vive relativamente em paz, dominada por estas duas famílias rivais: os Bullock, criadores de gado, e os McGold, donos de uma mina de ouro. O xerife garante o bem-estar da população e mantém a crença na justiça até o último dia de sua vida. Prestes a se aposentar, John é novamente vítima de Joe Wayne. Ao sair da prisão, o bandido trava um duelo fatal com o xerife. O coração da cidade se vai. Não há mais tranqüilidade.

99

Capítulo 99

De um lado, o sofrimento dos parentes de McGold. Do outro, a ganância de Bullock e de seu contador Jeff Wall Street (Guilherme Fontes). O testamento do xerife revela uma situação inimaginável. A mina de ouro não dá mais lucro e, além da saudade dos velhos tempos, ficaram as dívidas. A fazenda está hipotecada e Bullock não vê a hora de comprar aquela gleba de terra.

100

Capítulo 100

Miriam Viridiana (Joana Fomm), viúva de McGold, mostra ter pulso forte e reúne a família para pensar numa solução. Difícil é saber por onde começar. Filhas e genros não ajudam na renda da casa: Dorothy permanece imóvel na cama e seu marido Dong-Dong (Jairo Matos) tem contínuos momentos de embriaguez para não pensar no que restou de seu grande amor; Úrsula (Marisa Orth) ocupa-se de suas rezas, enquanto Aquárius (Ney Latorraca) segue com suas invenções mirabolantes. Um projeto de avião e experimentos com um gás misterioso entusiasmam o cientista, mas viria daí o dinheiro? A única que parece dar um certo crédito a ele é sua filha Penny Lane (Alinne Moraes). Catty (Fernanda de Freitas), a outra neta de Viridiana, acha tudo uma grande loucura e prefere olhar apenas para sua beatice.

101

Capítulo 101

É em meio a este caos que Ben Silver retorna a Albuquerque. Os pesadelos com a tragédia eram inevitáveis e o menino cresceu carregando o desejo de vingança de um crime do qual guardou um nome: Paul Bullock (Mauro Mendonça). O que ele não poderia prever é que se apaixonaria justamente pela filha de seu inimigo. Para isso, bastou pegar carona numa diligência onde se encontrava Diana (Fernanda Lima). Sem imaginar o que o destino lhe reserva, o rapaz não consegue esconder o encantamento por aquela mulher bela e altiva depois que seus olhares se encontram sem medo.

102

Capítulo 102

A caminho de sua cidade natal, Ben cruza com a diligência de Diana e insiste em pegar uma carona. Jeff, que vai com ela, não acha a idéia boa e argumenta que comprou todas as passagens para ter uma viagem sossegada com a moça. Na verdade o contador de Bullock tem a bordo dois itens preciosos: uma valise repleta de dinheiro e a noiva de seus sonhos. Contrariado, aceita a companhia do forasteiro e, mais tarde, chega a ter motivos para agradecer sua insistência. Quando os três são atacados por quatro bandidos, Ben forma uma imbatível dupla com Diana. Jeff, medroso, se joga quase debaixo do banco, enquanto os dois lutam incessantemente até deixarem os ladrões no chão.

103

Capítulo 103

Quando tudo parecia estar resolvido, um dos bandidos dispara e, antevendo o perigo, o forasteiro coloca-se na mira para salvar Diana. A moça sai intacta e o rapaz é ferido no ombro. É preciso correr para Albuquerque em busca de socorro. Depois de uma boa discussão, Jeff consente em conduzir a diligência, enquanto Diana cuida do forasteiro dentro do carro. Com o coração apertado, ela deixa cair a máscara de durona. Inconsciente, Ben balbucia até o motivo de sua visita: "Bullock", sussurra, para espanto da moça. Por que o forasteiro estaria dizendo seu sobrenome?

104

Capítulo 104

Quando tudo parecia estar resolvido, um dos bandidos dispara e, antevendo o perigo, o forasteiro coloca-se na mira para salvar Diana. A moça sai intacta e o rapaz é ferido no ombro. É preciso correr para Albuquerque em busca de socorro. Depois de uma boa discussão, Jeff consente em conduzir a diligência, enquanto Diana cuida do forasteiro dentro do carro. Com o coração apertado, ela deixa cair a máscara de durona. Inconsciente, Ben balbucia até o motivo de sua visita: "Bullock", sussurra, para espanto da moça. Por que o forasteiro estaria dizendo seu sobrenome?

105

Capítulo 105

Quando tudo parecia estar resolvido, um dos bandidos dispara e, antevendo o perigo, o forasteiro coloca-se na mira para salvar Diana. A moça sai intacta e o rapaz é ferido no ombro. É preciso correr para Albuquerque em busca de socorro. Depois de uma boa discussão, Jeff consente em conduzir a diligência, enquanto Diana cuida do forasteiro dentro do carro. Com o coração apertado, ela deixa cair a máscara de durona. Inconsciente, Ben balbucia até o motivo de sua visita: "Bullock", sussurra, para espanto da moça. Por que o forasteiro estaria dizendo seu sobrenome?

106

Capítulo 106

Quando tudo parecia estar resolvido, um dos bandidos dispara e, antevendo o perigo, o forasteiro coloca-se na mira para salvar Diana. A moça sai intacta e o rapaz é ferido no ombro. É preciso correr para Albuquerque em busca de socorro. Depois de uma boa discussão, Jeff consente em conduzir a diligência, enquanto Diana cuida do forasteiro dentro do carro. Com o coração apertado, ela deixa cair a máscara de durona. Inconsciente, Ben balbucia até o motivo de sua visita: "Bullock", sussurra, para espanto da moça. Por que o forasteiro estaria dizendo seu sobrenome?

107

Capítulo 107

O mistério de Ben ainda está longe de ser revelado, mas não demora muito para que pessoas bastante especiais descubram sua identidade. Assim que chega à residência de Diana, ele é obrigado a fugir. O destino desta vez o leva para perto de bons e velhos amigos. Os mexicanos Bolívar cuidam do rapaz com um carinho comovente e a ligação entre eles mostra-se forte antes mesmo de ser desvendada.

108

Capítulo 108

É através de uma foto que Violeta (Angelina Muniz) e Javier Bolívar (Genésio de Barros) descobrem que o forasteiro é Ben Silver, seu afilhado, sobrevivente da tragédia de 20 anos atrás. A situação parece improvável e os dois não contêm a emoção. A lembrança faz escorrer a lágrima e o sorriso vem logo depois.

109

Capítulo 109

Antes mesmo de saber do parentesco, Pablito (Humberto Carrão) e Mercedita (Carol Castro), filhos do casal, assumem Ben na família. Ainda que de formas bem diferentes. O menino se interessa pelas histórias do forasteiro e torna-se rapidamente seu fã. Já a moça não consegue controlar o amor que irrompe no peito. Ela será, algum dia, correspondida?

110

Capítulo 110

Mais um encontro inesperado se dá a caminho de Albuquerque poucos dias depois. Naquela paisagem árida, apenas o sol e os cactos parecem espionar os olhares entre Penny Lane, neta de McGold, e Neon (Guilherme Berenguer), filho de Bullock. Na mesma diligência, se encantam um com o outro. Formados na capital, Penny e Neon voltam para os braços de suas famílias e para a mentalidade por vezes atrasada deste pequeno recanto do Velho Oeste. O momento certamente também não é dos melhores. A menina acaba de perder o avô e o ódio entre Bullocks e McGolds está à flor da pele.

111

Capítulo 111

Uma vez em Albuquerque, Neon e Penny contam com a ajuda do padre Hacker (Renato Consorte) e do sacristão Ernest (Renato Borghi) para marcar encontros longe dos olhares dos vizinhos. Em nome de "trabalhar pela concórdia e pelo amor entre as pessoas", os dois deixam que eles utilizem o confessionário como esconderijo.

112

Capítulo 112

Albuquerque oculta outros segredos. Há quem mantenha escondida até a verdadeira identidade. Por trás de perucas, maquiagens e trajes femininos, vivem dois bandidos: Billy The Kid (Evandro Mesquita) e Jesse James (Kadu Moliterno). O orgulho bate no peito quando eles lembram o passado de duelos e crimes. Longe daquela dupla que inspirava medo e estampava cartazes de "procura-se", encarnam hoje as simpáticas irmãs Naides, Henaide (Evandro Mesquita) e Denaide (Kadu Moliterno). Elas são donas do único hotel da cidade e aprontam todas sem que ninguém desconfie.

113

Capítulo 113

1. No primeiro capítulo aconteceu uma cena bárbara que qualquer criança leiga poderia ver... quando a atriz Fernanda Lima (Daiana), estava lutando e foi cair para dar um golpe, foi possível ver aquela corda segurando a atriz. Está certo que é normal utilizar esses acessórios, mas poderiam ter apagado digitalmente, ficou muito evidente. (Contribuição de Marília Jussara)

114

Capítulo 114

2. Ainda no primeiro capítulo, as cenas da carruagem nitidamente eram feitas com fundo falso, colocados atrás dos atores. Se todo o resto era certinho, porque não filmaram a cena deles andando também, ficaria bem melhor.

115

Capítulo 115

3. Estudo inglês há mais de sete anos. Os nomes dos personagens de toda a novela são ingleses e, com certeza, nenhuma palavra originalmente inglesa tem acento gráfico. Em toda parte que leio, o nome do personagem Aquárius tem acento. Além disso, levamos em conta também, além do inglês, o latim, no qual acredito que Aquarius não possui acento. (Contribuição de Guilherme Adam Fraga - SLG / RS)

116

Capítulo 116

4. Me corrijam se eu estiver errada pois não sigo a novela: Se eu não me engano tem uma mulher que está em coma não é? Teve uma cena que um homem (acho que o marido dela) estava tentando imitar o doutor Freud com o pêndulo para fazer psicanálise e ergueu com os dedos as pálpebras da mulher, enquanto ele balançava o pêndulo a câmera se aproximou dela e ela piscou. Ela estando em coma faria isso? Sei não, podiam ter tirado essa parte. (Contribuição de Marcella Costa)

117

Capítulo 117

5. Eu percebi um erro no site na novela Bang Bang. O nome do ator dos personagens do sacristão de Albuquerque dono do Ernest Magazine e do Padre Jeremy Hacker é o mesmo: RENATO CONSORTE. Será que ninguém da novela Bang-Bang ou da Rede Globo lê o site da novela? (Contribuição de Salomão Souza)

118

Capítulo 118

6. Em um dos capítulos Vegas Locomotiv diz que o Xerife Gógol foi para Albuquerque, mas na verdade ele foi para Santa Fé. Eles estavam em Albuquerque. (Contribuição de Andrei Bergamo)

119

Capítulo 119

7. Em um dos capítulos, quando Bike Boy e o Pablito foram na Ernest Magazine, tinha um telefone lá. Bike Boy disse paro o Pablito que tinha aprendido uma brincadeira nova com o telefone. Bike Boy disse que ia ligar para o número 1 da lista (Paul Bullock). Pablito girou a manivela, e já de cara, Bike Boy já disse "Alô? É da quitanda". E o Bullock disse "Não". Eu não entendo... Quem tinha que atender primeiro era o Tonto (da Central Telefônica) e não o próprio Paul Bullock. (Contribuição de Ana Cristina - Japão)

120

Capítulo 120

8. Se eu não me engano a novela se passa lá pelo ano de 1800, e o movimento Hip só foi aderido na década de 70, então como é possível ter dois Hips na novela (Dorothy e Pitti Johnson)? (Contribuição de Carla Fernanda Pereira de Azevedo)

121

Capítulo 121

9. Quando Jeff Wall Street mostra o projeto do hotel que Bullock pretende construir, de nome - Bullock´s Hotel - e então o próprio Bullock pergunta para que serve o 's se não são dois hotéis. Ele não é americano? Deveria muito bem saber que esse ('s) indica propriedade. (Contribuição de Wemerson Charlles - Inhumas / GO)

122

Capítulo 122

10. Se a personagem Dorothy estava em coma por cerca de de 20 anos, ela nunca poderia acordar falando e com boa dicção, e muito menos sairia movendo os membros como se não tivesse acontecido nada. (Contribuição de Raphael Toledo da Silveira - Muriaé / MG)

123

Capítulo 123

11. Nas cenas da mina, entre os capítulos do dia 10/12 ao 14/12, Ben e Diana estão em um tronco, à beira do rio. Mas a cena num passa de um vídeo retratado da produção. Muito fora da realidade. (Contribuição de Cândido Costas)

124

Capítulo 124

12. Em um dos capítulos, a dona Viridiana estava falando da vida dos McGold, e sem querer ela acabou falando "Nossa vida parece uma novela"... Novela, no velho Oeste? Sem energia, e não existia a televisão? hehehe...que falha, heim? (Contribuição de Ana Cristina Miyabara) --> Apenas para esclarecer, o termo NOVELA pode ter tido o sentido do termo literário, diferente do gênero televisivo TELENOVELA (também chamada de "novela" pelo senso comum) o que geraria a confusão. (Contribuição de Vanessa Rodenbusch)

125

Capítulo 125

13. No dia 20/12, Ben Silver entra no consultório do Dr. Harold, e pergunta se é o Bulock que está doente; o Dr. leva um suste e não responde, mas na fala seguinte do Ben Silver, ele diz que é estranho o Dr. estar cuidando do touro do Bulock. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC)

126

Capítulo 126

ABSURDO: 14. No dia 03/01, quando o Dr. vai com a Ioko para o quarto, ela o algema na cama por uma única mão (esquerda) na cabeceira da cama, e a outra na própria cabeceira. No dia 04/01, o Dr. aparece com as duas mão presas pelas algemas, através da cabeceira da cama; mais tarde quando o Dr. desprende a cabeceira e foge ele reaparece com uma mão presa na algema e a outra ponta da algema na cabeceira, assim como no dia anterior. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC)

127

Capítulo 127

15. No dia 11/01, quando o Primo MacMac está colhendo milho, ele vem da plantação com uma cesta clara, depois que ele vira, para esvaziar a cesta, ela é escura. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC).

128

Capítulo 128

ABSURDO: 16. Mas na mesma cena tem outro erro catastrófico: ele esvazia uma cesta em outra que está em cima de um barril; há dois barris em cena, ele esvazia a cesta no da esquerda dele, quando a cena abre a cesta está sobre o barril da direita (dele), quando volta a fechar a cena está a esquerda novamente. Ainda por cima as cestas voltam a mudar de cor. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC)

129

Capítulo 129

17. Alguém pode me explicar como o Cheng, aquele japonês, usa aparelho nos dentes naquela época? (Contribuição de Andréa Dias)

130

Capítulo 130

18. Bom, eu acho que esta novela se passa nos Estados Unidos, certo? E eles falam inglês, certo? Então como é que no dia em que Ben foi no prostíbulo para achar sua irmã, veio uma prostituta falando inglês e ele disse que não falava inglês, e sim português? Como ele entende a Daiana e o resto do povo? Muito estranho tudo isso. (Contribuição de Caroli Viana)

131

Capítulo 131

19. No dia 24/01 - O primo Mac-Mac chega e joga a camisa em cima do sofá, onde há 3 almofadas à direita dele e, lençóis e travesseiros à esquerda. Ele sobe até o quarto da Peny e quando volta a camisa sumiu, e os lençóis e travesseiros também. E em cima do sofá há uma almofada à direita e duas à esquerda dele.

132

Capítulo 132

20. No dia 01/02 - Quando o contrabandista caolho joga a adaga pela primeira vez, tem duas adagas presas na parede, quando ele joga a 2ª adaga, ainda tem duas adagas presas na parede, como se eles tivessem repetido a mesma cena.

133

Capítulo 133

21. Na seqüência aparecem 4 adagas em cima do barril, o contrabandista atira 3 adagas, e na cena seguinte (por um brevíssimo lapso de tempo, que só pode ser visto se congelada a cena), percebe-se ainda 3 adagas em cima do tal barril.

134

Capítulo 134

22. Ainda na seqüência Ben Silver ao parar, deixa cair o chicote de cima de seu cavalo, ele conversa com Cheng, e quando eles partem aparece novamente o chicote preso na cela do cavalo. Não há indicação durante a cena que algum deles tenha descido do cavalo para juntar o objeto. (Contribuição de Fábio E. Marafon - Chapecó / SC)

135

Capítulo 135

23. Houve uma cena, durante a Lua de Mel da Daiana e do Ben, que ela estava tentando se livrar de um casal que sempre estava atrás deles, e ela disse: "Vamos se mandar daqui", sendo que o correto seria: "Vamos nos mandar daqui." Um erro de concordância que doeu nos ouvidos. (Contribuição de Rosemeire Franke - Uberaba / MG)

136

Capítulo 136

24. Eu percebi que o Dong-Dong usa aparelho nos dentes. Mas naquela época já existia aparelho? (Contribuição de Weslei Azevedo)

137

Capítulo 137

25. Em um dos capítulos, varios personagens jogam futebol no meio da cidade de Albuquerque, mas se a novela se passa no velho Oeste, certamente se passa no começo do século 19, e se o futebol só foi inventado no fim do século 19, como eles estão jogando? (Contribuição de Luis Fernando Lima)

138

Capítulo 138

26. Se a novela se passa em 1800, ou por aí, como é que o Bike Boy e o Pablito falam gírias desse milênio? (Contribuição de Laurem Helena Alves - Marau / RS)

139

Capítulo 139

27. No dia 24/01, o primo Mac-Mac chega e joga a camisa em cima do sofá, onde há 3 almofadas à direita dele e, lençóis e travesseiros à esquerda. Ele sobe até o quarto da Peny e quando volta a camisa sumiu, e os lençóis e travesseiros também. E em cima do sofá há uma almofada à direita e duas à esquerda dele. (Contribuição de Fábio E. Marafon - Chapecó / SC)

140

Capítulo 140

28. Dia 01/02, quando o contrabandista caolho joga adaga pela primeira vez, tem duas adagas presas na parede, quando ele joga a 2ª adaga, ainda tem duas adagas presas na parede, como se eles tivessem repetido a mesma cena. (Contribuição de Fábio E. Marafon - Chapecó / SC)

141

Capítulo 141

Pois é, a novela é maravilhosa! Apesar que o Carlos lombardi entrou no meio e estragou ela... mas Bang Bang é umas das melhores novelas da globo! Youtuber: vinhetasdenovelas

142

Capítulo 142

29. Na seqüência, aparecem 4 adagas em cima do barril, o contrabandista atira 3 adagas, e na cena seguinte (por um brevíssimo espaço de tempo, que só pode ser visto se congelada a cena), percebe-se ainda 3 adagas em cima do tal barril. (Contribuição de Fábio E. Marafon - Chapecó / SC)

143

Capítulo 143

30. Continuando, Ben Silver ao parar, deixa cair o Chicote de cima de seu cavalo, ele conversa com Cheng, e quando eles partem aparece novamente o chicote preso na cela do cavalo. Não há indicação durante a cena que algum deles tenha descido do cavalo para pegar o objeto. (Contribuição de Fábio E. Marafon - Chapecó / SC)

144

Capítulo 144

31. No dia 02/02, quando Daiana chega no covil dos contrabandistas, ela vai lutar com Mama Jake, quando esta se aproxima, Daiana tira a algibeira do ombro. Na cena seqüencial, Daiana reaparece com a algibeira no ombro e a tira novamente. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC)

145

Capítulo 145

32. Dia 09/02, Ursula e Ioko brigam, Ursula arranca o enfeite de cabelo da Ioko, e o enfeite cai no chão. Na seqüência o enfeite continua no cabelo da Ioko, como se não tivesse caído. (Contribuição de Angela G. Marafon - Chapecó / SC)

146

Capítulo 146

33. No último capitulo, quando Diana entra na casa dos McGold, dá para ver a Viridiana piscando, sendo que ela estava inconsciente. (Contribuição de Mathaus Soares)

147

Capítulo 147

A) Não querendo deixar de enxergar os erros da novela, mas é preciso fazer algumas considerações a respeito de coisas que foram faladas aqui: a história se passa em lugar fictício, atemporal, onde tudo pode acontecer. Se fossemos levar ao pé da letra, teria então que todos os atores falassem inglês e a novela seria legendada! Mas a proposta não é essa. Parece que ninguém se lembra da novela "Que Rei Sou Eu?", foi um grande sucesso, que mostrava em lugar distante também, em uma outra época, e a base de alfinetadas, indiretamente representava o Brasil da época atual, a mesma coisa é esta novela, tem muitas coisas que só quem tem referências sabe e entende a piada! Existem várias citações de vários assuntos. Mário Prata é um excelente escritor, a novela é bastante diferente, tem uma linguagem e piadas inteligentes! E é essa mistura de fatos, pessoas que realmente existiram (como foi o caso do Dr Freud), de acontecimentos, que fazem a novela ser bacana. O que é pra ser analisado aqui são os erros de continuidade, erros de cena, enfim, não discutir toda a obra e a proposta do autor! (Contribuição de Marlene Chuico) --> O comentário diz que não se pode seguir a historia ao pé da letra...eu concordo... porém ela diz que a história se passa em um lugar fictício... bem nisso eu não concordo, a história se passa em Santa Fé e Albuquerque, e se meus desenhos do Pernalonga não me falham a memória, se localizam no Novo México, sendo assim um lugar real e não fictício. (Contribuição de Paulo de Andrade D'Andréa - Ribeirão Preto / SP)

148

Capítulo 148

B) A novela é um erro. Decepcionante e pretensiosa, deveria acabar o mais rápido possível. (Contribuição de Luciano Kampf - Curitiba / PR)

149

Capítulo 149

C) Me divirto assistindo Bang Bang. A novela é escrita de maneira criativa, inteligente e irreverente. É necessário saber um mínimo de informações atuais para se entender as tiradas engraçadíssimas dos personagens. Desagradável é ler os comentários constantes da revista Veja espinafrando a novela. Bem, isso é uma questão de opinião, mas como um meio de comunicação deveria apenas informar sem comentários irônicos. (Contribuição de Maria Velanga)

150

Capítulo 150

D) PUTZ!!!! a atriz principal (Diana) é a pior atriz de todos os tempos...ela não muda de cara nunca! (Contribuição de Maria Luiza)

151

Capítulo 151

E) Assisto a novela apenas pra escutar as piadas hilárias de Ben Silver, pois diga-se de passagem, esse cara fazendo esse tipo de papel é bem a cara dele... Hilááário... E acho que a novela deveria continuar por mais algum tempo só pra podermos rir mais e mais com as piadas... Dia 24/02/2006 eu dei muita risada quando Ben Silver disse ao pai de Dyana a seguinte frase: "Não iremos voando, (ele vira-se de costas) ... por favor você pode soltar as minhas asinhas"... Hilááário!!! (Contribuição de Ana Claudia Roges - São José dos Campos / SP)

152

Capítulo 152

F) Tem alguns erros citados pelos usuários que não tem fundamento. A novela é uma crítica ao Brasil atual tendo como pano de fundo ao velho oeste, assim como Cassiano Gabus Mendes, em 1989, se utilizou da época da monarquia para fazer que Rei Sou Eu.

153

Capítulo 153

"Analisei a novela e dei sugestões. Acredito que ela tenha de recuperar mais o tom de comédia. Quem viu as chamadas e se interessou esperava uma comédia. Há idéias minhas em Bang Bang em ação a partir da próxima semana, mas estou tentando ser discreto", fala Lombardi. "Sei que a novela precisa ser romântica para agradar ao público feminino, mas talvez tenham mudado o tom demais. Tanto que assisti aos primeiros capítulos e não vi mais. O pedido-chantagem emocional para eu dar uma força na trama partiu do Mário Lúcio Vaz (chefão artístico da Globo) e do Ricardo Waddington (diretor de núcleo)", conta o autor, que tenta recuperar a idéia inicial de Mario Prata, mesmo sem Mario Prata.

154

Capítulo 154

www.globo.com/bangbang

155

Capítulo 155

Amor, drama, a disputa entre o bem e o mal e uma boa dose de comédia são considerados elementos fundamentais para uma novela de sucesso. Mário Prata, contudo, decidiu adicionar faroeste à mistura e criou BANG BANG, a nova atração das 19h da Rede Globo, com estréia marcada para segunda-feira, dia 03 de outubro. As histórias do folhetim irão se desenrolar em 1881, na cidadezinha de Albuquerque, em que tudo acontece numa única rua que abriga o saloon, a igreja, o hotel e a delegacia.

156

Capítulo 156

É na cidade que o misterioso Ben Silver irá procurar vingança. Em sua infância, Ben viu seus pais serem assassinados por capangas do poderoso Paul Bullock e jurou matar o vilão. Depois de esperar 20 anos, o rapaz decide executar seu plano. Mas ao se apaixonar pela filha do inimigo, a forte e bela Diana, percebe que a tarefa não será assim tão fácil. Além da complicada história de amor, há muita comédia na trama, com um Zorroh muito diferente do valente espadachim conhecido por todos, um delegado que baixa medidas provisórias absurdas e uma dupla de bandidos que prefere viver fantasiada de mulher do que se entregar para a polícia

157

Capítulo 157

Para interpretar o casal de protagonistas, foram escalados Fernanda Lima e Bruno Garcia. A novela conta, ainda, com estrelas como Ney Latorraca, Giulia Gam, Evandro Mesquita, Aline Moraes e o músico Paulo Miklos.

158

Capítulo 158

Desde o início da trama a Globo acumula prejuízos com a trama Bang Bang. E impossibilitada de romper com a gravação, aplicou estratégias afim de manter o índices de audiência no horário.

159

Capítulo 159

A Globo experimentou na última segunda-feira (28) uma estratégia para reduzir o impacto do problema que a trama enfrenta. De acordo com o colunista Daniel Castro, da Folha de S. Paulo, a emissora diminuiu a duração do folhetim de 55 para 45 minutos. Os dez minutos que a novela de Mário Prata perdeu foram para Força de um desejo, em Vale a Pena Ver de Novo.

160

Capítulo 160

Rodrigo Lombardi é ator. Estreou como ator no espetáculo infantil João e o Pé de Feijão, antes estrear na televisão, na novela Meu Pé de Laranja Lima, da TV Bandeirantes. Antes de ser chamado para atuar em Bang Bang, novela que marcou sua estreia na Rede Globo, em 2005, estava tentando ser vendedor de loja no shopping. O mesmo afirma que chegou a pensar em desistir da profissão, devido a dificuldade para se conseguir bons trabalhos.

161

Capítulo 161

O Kadu Moliterno estava no ar em Bang Bang e tinha espancado a esposa dele que o denunciou na polícia – a Globo não fez absolutamente nada com ele.

162

Capítulo 162

Mario Alberto Campos de Morais Prata é natural de Uberaba (MG), onde nasceu no dia 11 de fevereiro de 1946. Foi criado em Lins, interior de São Paulo. Com 10 anos de idade já escrevia "numa velha Remington no laboratório de meu pai (...) crônicas horríveis, geralmente pregando a liberdade e duvidando da existência de Deus". Nesse período de sua vida era o redator do jornalzinho de sua classe na escola. Sendo vizinho de frente do jornal A Gazeta de Lins, com 14 anos começou a escrever a coluna social com o pseudônimo de Franco Abbiazzi. Passou, com o tempo, a fazer de tudo no jornal, desde editoriais a reportagens esportivas e artigos de peso. O escritor Sérgio Antunes, seu amigo nessa época, disse que Mário era um molecote de "voz de taquara rachada e aparelho nos dentes ". Além de escrever Mário se dedicava ao tênis e, defendendo o Clube Atlético Linense, acabou sendo o campeão noroestino infantil na década de 60. Lia tudo o que lhe caia nas mãos, em especial as famosas revistas da época "O Cruzeiro" e "Manchete", que traziam em suas páginas os melhores cronistas da época como Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Henrique Pongetti, Rubem Braga, Millôr Fernandes e Stanislaw Ponte Preta, uma vez que em Lins, naquela época, "não chegavam os grandes clássicos", como disse o autor. Daí a forte influência que os citados cronistas tiveram em seu estilo.

163

Capítulo 163

Aos 16 anos recebe um convite de Roberto Filipelli, que foi depois diretor da Globo em Londres, para fazer com ele o "Jornal do Lar ". Samuel Wainer, vislumbrando seu grande talento, levou-o, nessa época, para escrever no jornal "Última Hora". Mário comenta: "Meus pais chamavam aquilo que eu escrevia de bobageiras e me previam um péssimo futuro. Medicina, Engenharia, Direito ou Banco do Brasil (eles queriam). E nada de estudar filosofia ou letras: coisa de veado". O autor acabou trabalhando 8 anos no Banco do Brasil, a exemplo de Jaguar e Stanislaw Ponte Preta — dentre outros, como auxiliar de escrita.

164

Capítulo 164

Na década de 60, em plena revolução, inicia o curso de Economia na U.S.P. Desse tempo relembra: "a gente se orgulhava: a gente era comunista! (...) um dia o DOPS chegou lá e levou a gente. Todo mundo preso, orgulhoso ". Apesar da opinião contrária dos familiares e dos amigos, e movido pela vontade cada vez maior de ser escritor, resolveu pedir demissão do Banco do Brasil e abandonar a faculdade de Economia.

165

Capítulo 165

A partir de então vem obtendo sucesso com inúmeros livros, novelas, peças, roteiros, etc.

166

Capítulo 166

Sua estadia em Portugal, onde morou por 2 anos, deu origem a um de seus grandes sucessos no Brasil, o livro Schifaizfavoire — um tipo de dicionário do português falado pelos portugueses. Lá, nesse período, realizou diversos trabalhos para a RTP (Rádio e Televisão Portuguesa). Atualmente mora em São Paulo e diz que gosta de escrever de manhã e "careta", uma herança adquirida nos tempos em que trabalhou no Banco do Brasil.

167

Capítulo 167

O autor, Mário Prata - que retornava à Globo após 20 anos -, tirou licença da emissora por tempo indeterminado, afastando-se da autoria da novela, já em sua segunda semana de exibição. O motivo oficial do seu afastamento era um problema na articulação do ombro, mais tarde diagnosticado como uma osteoporose. Por conta do quadro, Prata se afastou por completo da novela, deixando 30 capítulos escritos e 20 projetados. Márcia Prates, da equipe de colaboradores, assumiu a coordenação do texto. Pouco tempo, Carlos Lombardi foi convocado pela emissora para dar um rumo e orientar a equipe de autores da novela.

168

Capítulo 168

A história de Bang Bang, baseada nos clássicos do western norte-americano, foi apresentada à Manchete em 1986 e seria dirigida por Luiz Fernando Carvalho. "A idéia não chegou nem a virar sinopse, apenas um esboço de poucas páginas", explicou Mário Prata, que teve a novela cancelada. Com uma proposta "diferente e inovadora", Bang Bang não conseguiu cativar o público - como mostrou seus números de ibope, considerados baixos para o horário.

169

Capítulo 169

Vários foram os problemas apontados pelo fato da trama não ter emplacado. O principal deles: a obra não é um folhetim dos mais tradicionais, com vilãs muito más, mocinhas muito boas e romances melados. Com uma história que misturou trama cult, passada no faroeste, com homenagem aos Beatles e animações japonesas, a novela testou uma nova linguagem, com enredo confuso para parte do público.

170

Capítulo 170

As piadas com referências dos anos 60, os nomes difíceis dos personagens e o ritmo lento da história foram apontados como problemas pelos telespectadores em uma pesquisa feita pela emissora. Em contrapartida, a Record festejou os números de sua novela Prova de Amor, concorrente no horário - uma trama contemporânea com todos os ingredientes básicos do folhetim. Ficando sempre em segundo lugar na audiência, a novela da Record roubou vários telespectadores da Globo.

171

Capítulo 171

Com a queda da audiência o público pôde perceber uma diminuição na duração dos capítulos de Bang Bang, que dos habituais 55 minutos passaram para 45. Essa foi uma estratégia da direção da emissora para reduzir o impacto do problema que a trama enfrentou. Quatro músicos fizeram parte do elenco da novela: Evandro Mesquita, Sidney Magal, Paulo Miklos e Luiz Melodia. Com as mudanças na novela, Paulo Miklos e Luís Melodia passaram a fazer apenas participações especiais, quando absolutamente necessárias. O personagem do ator Jairo Mattos - Dong Dong - foi eliminado da trama. Já Marco Ricca pediu para sair da novela, e seu personagem, o falso xerife Gógol, acabou assassinado.

172

Capítulo 172

A cidade cenográfica, Albuquerque, é o mesmo nome da cidadezinha de Estúpido Cupido, novela que Mário Prata escreveu em 1976. Na época, as locações eram em Itaboraí, e a única diferença é que aquela era no interior São Paulo, e esta Albuquerque é no estado americano do Novo México. A cidade cenográfica, projetada pelos cenógrafos Mário Monteiro e Alexandre Gomes, foram constituídas por uma rua principal e casas de madeira com tons esmaecidos. Foram erguidas no Projac, em forma de T, as duas cidades do Velho Oeste: Albuquerque e Santa Fé. Na primeira, com 3.600m2, estavam o saloon, igreja, delegacia, hotel e armazém. Nas redondezas estava a vizinha Santa Fé, com 1.200m2, que recebeu um tratamento mais sofisticado, que abrigou o banco, cassino, butique e ambientes mais chiques.

173

Capítulo 173

Uma equipe de 27 profissionais brasileiros aterrisou no Chile para gravar as primeiras cenas da novela. Três locações distintas foram utilizadas pela equipe ao longo de duas semanas. Os pontos escolhidos foram o Vale da Lua, uma trilha próxima à entrada de São Pedro do Atacama e uma estrada que liga esta cidade à Calama. Os atores chilenos Francisco Javier Lambert Rodrigues, Luiz Wigdorsky e Geraldo del Lago, participaram das gravações realizadas em seu país.

174

Capítulo 174

Uma equipe de 27 profissionais brasileiros aterrisou no Chile para gravar as primeiras cenas da novela. Três locações distintas foram utilizadas pela equipe ao longo de duas semanas. Os pontos escolhidos foram o Vale da Lua, uma trilha próxima à entrada de São Pedro do Atacama e uma estrada que liga esta cidade à Calama. Os atores chilenos Francisco Javier Lambert Rodrigues, Luiz Wigdorsky e Geraldo del Lago, participaram das gravações realizadas em seu país.